Márcio França diz que ataque em Campinas poderia ter sido pior: ‘Polícia evitou’

Márcio França faz balanço do governo faltando poucos dias para o fim do mandato

Márcio França faz balanço do governo faltando poucos dias para o fim do mandato

O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), esteve nesta quarta-feira (12) em Santos, no litoral do Estado, e comentou o ataque na Catedral Metropolitana de Campinas (SP), onde um atirador matou quatro pessoas e feriu outras quatro antes de cometer suicídio. Para o governador, a tragédia poderia ter sido muito pior se não fosse a atuação da polícia.

Em entrevista, Márcio França explicou que recebeu a notícia sobre o atentado enquanto estava em Brasília (DF). Na manhã desta quarta-feira, ele telefonou para o policial que participou da ação que, segundo o governador, evitou “uma tragédia ainda maior”.

“Há pouco liguei para o policial que conseguiu evitar que a tragédia fosse muito pior. Ele notou o que ocorria pelo som [dos tiros], foi lá dentro, reagiu e conseguiu interceder. Por mais que o Estado faça a sua parte, nós nunca conseguiremos evitar um incidente como esse. É uma tragédia”, disse.

Governador Márcio França faz balanço da gestão — Foto: ReproduçãoGovernador Márcio França faz balanço da gestão — Foto: Reprodução

Governador Márcio França faz balanço da gestão — Foto: Reprodução

Durante a entrevista, faltando apenas 18 dias para o fim de seu mandato, o atual governador também comentou a transição para o governo de João Doria (PSDB), que venceu o segundo turno das eleições e assumirá o governo de São Paulo em 2019.

“Ele pediu para que o novo vice-governador fizesse a transição. Eles já escolheram alguns nomes, escolheram ontem só o ministro Meirelles para a Fazenda e cada um deles está se tratando com o secretário de cada pasta. É tranquilo, não tem nenhum problema”, comentou.

Sobre a possível disputa pela prefeitura de São Paulo em 2020, França admite a pressão, mas diz que não era sua intenção. “Minha disputa foi para governador, mas tive mais de 60% dos votos na Capital e há uma pressão natural. Não descarto a hipótese, mas temos dois anos pela frente.”

Ligação seca Santos-Guarujá

A ligação seca entre Santos e Guarujá era uma das promessas de governo de Márcio França. Mesmo com a derrota, o político acredita que João Doria dará continuidade ao projeto.

“Certamente será a ponte. O projeto executivo já está autorizado pela Artesp, mas claro que a ordem [de execução] ficará para o novo governador, mas não tem razão de não autorizar. Ele é um tocador de grandes obras e essa não depende do dinheiro público. Tenho certeza que autorizará”.