Valinhos promove ações educativas para alertar população sobre os escorpiões

15/12/2017 – Águas Claras, Brasília, DF, Brasil- Com o aumento das chuvas no Distrito Federal, é preciso estar prevenido para evitar acidentes com escorpiões que procuram abrigo em residências para escapar das inundações no ambiente subterrâneo. Neste ano, a Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde atendeu 918 chamados para identificação e captura dos bichos. Incidência geralmente aumenta no período chuvoso. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Segundo a Zoonoses, os escorpiões encontrados em Valinhos são o marrom (Tityus bahiensis) e o amarelo (Tityus serrulatus).

Agentes da Divisão de Controle de Zoonoses e de Controle de Vetores de Valinhos, do Departamento de Saúde Coletiva, estão realizando atividade educativa. Orientando os moradores sobre cuidados em relação aos escorpiões. Imóveis foram vistoriados pelas equipes, que alertaram sobre medidas que devem ser adotadas para minimizar a possibilidade de aparecimento dos animais.

Orientações

As principais medidas preventivas incluem manter quintais e jardins limpos, acondicionar o lixo em recipientes apropriados e fechados, não jogar lixo em terrenos baldios, eliminar fontes de alimento para os escorpiões (baratas, aranhas, grilos), remover folhagens, arbustos e trepadeiras junto às paredes externas e muros.

Os moradores também devem manter fossas séticas, caixas de inspeção da rede de esgoto e de águas pluviais bem vedadas, rebocar paredes externas e muros para que não apresentem vãos ou frestas, vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha, colocar telas nas janelas e telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques.

Abrigo

Segundo o Manual de Controle de Escorpiões do Ministério da Saúde, divulgado em 2009, o controle químico não é indicado para os escorpiões porque eles têm o hábito de se abrigar em frestas de paredes, embaixo de caixas, em papelões, pilhas de tijolos, telhas, madeiras, fendas e rachaduras de solo e podem permanecer meses sem se movimentar.

Esses animais podem ser encontrados em variados ambientes, como galerias de escoamento de águas pluviais, na rede de esgoto e em locais com acúmulo de materiais inservíveis ou vegetação. Nas áreas externas os escorpiões procuram se alojar em ambientes úmidos e escuros.

Os acessos utilizados pelos escorpiões para as áreas internas dos imóveis são os ralos, frestas na parte inferior das portas, frestas em janelas, conduítes de fiação elétrica, frestas existentes entre o telhado e as paredes.

No interior de uma construção, os escorpiões podem se alojar em assoalhos e rodapés soltos, vigas e telhados em porões, sótãos e forros no teto, ralos de cozinha, banheiros e área de serviço, móveis, cortinas, estantes, quadros, lareiras, frestas e vãos de paredes, roupas e sapatos, batentes de portas e de janelas, objetos empilhados ou jogados, caixas e pontos de energia, armários sob pias, gavetas, toalhas penduradas.

Valinhos

Segundo a Zoonoses, os escorpiões encontrados em Valinhos são o marrom (Tityus bahiensis) e o amarelo (Tityus serrulatus). É esperado um aumento da ocorrência de aparecimento de escorpiões nos meses quentes do ano (primavera e verão).  O morador deve ficar atento e checar sempre os possíveis esconderijos de escorpiões antes de utilizá-los. Para maiores informações, os moradores devem entrar em contato com a Divisão de Controle de Zoonoses, através do telefone 3829-1252 e 3829-2197.