Linx reforça parceria com Instituto Ayrton Senna em premiação de jovens programadores

07/12/2018

O projeto beneficia 3 mil jovens participantes em 4 estados brasileiros todos os anos

A Linx, empresa líder e especialista em tecnologia para o varejo, reforçou a parceria recém-estabelecida com o Instituto Ayrton Senna no ‘Tech Oscar’, evento que aconteceu na última terça-feira (4) na Universidade São Francisco, em Itatiba.

O objetivo foi mostrar à comunidade os trabalhos desenvolvidos por alunos impactados pelo projeto ‘Letramento em Programação’, que desenvolve o pensamento computacional de jovens por meio da programação de computadores.

Estudantes do 4º ao 9º ano do ensino público de Itatiba, Morungaba, Vinhedo, Sumaré e Hortolândia estiveram no evento; e os do 7º ao 9º de Itatiba, Vinhedo e Morungaba apresentaram seus projetos, que foram avaliados por uma banca composta por dez voluntários da Linx, que ajudaram a eleger os dois destaques de cinco categorias de premiação: Minha Narrativa, Senso de Equipe; Originalidade; Propósito e Múltiplas Linguagens.

Antes da cerimônia oficial, os alunos assistiram a uma palestra motivadora que foi ministrada por Renata Malagoli, diretora de OmniCommerce na Linx.

“Já é certo que a tecnologia faz e fará cada vez mais parte da vida das crianças e adolescentes de hoje em dia. A participação da Linx em uma iniciativa como esta reforça o compromisso da empresa em utilizar seu conhecimento para contribuir com a formação de jovens que, assim, terão mais oportunidades no mercado de trabalho”, celebra Malagoli.

Neste ano, os 44 grupos apresentaram projetos que vão desde uma mão robótica, que traduz libras; um colete para ciclistas, que sinaliza seus movimentos no trânsito; cadeira de rodas controlada por Arduino, além de aplicativos para aprendizado de inglês, ciências e matemática.

Cenário animador

O ‘Letramento em Programação’ é voltado para estudantes do Ensino Fundamental I e II. No projeto, os alunos aprendam a programar computadores, construindo com autonomia jogos, animações, aplicativos de celular e dispositivos físicos. A iniciativa é tão valorizada pela comunidade escolar que, no ano passado, se tornou lei no município de Itatiba-SP.

Além de São Paulo (Itatiba, Morungaba, Vinhedo, Sumaré e Hortolândia), o projeto já foi implementado no Rio Grande do Sul (11 municípios do Norte Gaúcho), Amazonas (Manaus) e Pernambuco (Caruaru). A cada ano, cerca de 3 mil jovens são beneficiados.

Compartilhe este artigo

Compartilhe nas redes sociais