Câmara entrega Diploma Noel Rosa para homenagear artistas e casas de samba da cidade

Câmara entrega Diploma Noel Rosa para homenagear artistas e casas de samba da cidade

Para comemorar o Dia Nacional do Samba, celebrado em 2 de dezembro, a Câmara de Campinas entrega nesta terça-feira (4), às 20h, o Diploma Noel Rosa, homenagem criada pelo vereador Luiz Rossini (PV) para valorizar sambistas, grupos de samba, agremiações e casas de espetáculo que tenham se destacado na divulgação, promoção, difusão e fortalecimento do samba na cidade.

Receberão a premiação na quinta edição do evento Chiquinho do Pandeiro, Jorginho Araújo, Valéria Santos, Julião Vieira, Ronny Carlos, Haroldo Cangiani, Pagode da Vó Tiana, além da Casa Rio e do projeto “Escuta o Cheiro“. “A proposta é valorizar todos que tentam manter viva as raízes e as tradições dessa genuína manifestação da cultura brasileira”, afirma Rossini.

A reunião solene de entrega da homenagem, na Casa Rio Bar & Restaurante, localizada no distrito de Sousas, é aberta à população. Após a cerimônia oficial, os artistas agraciados prometem fazer uma verdadeira “festa” e apresentar famosas canções da Música Popular Brasileira.

Luiz Rossini (PV), Jorge da Farmácia (PSDB), Aurélio Cláudio (PMB), Permínio Monteiro (PV) e Vinícius Gratti (PSB) foram os autores dos projetos que concederam o Diploma Noel Rosa aos homenageados.

Mais sobre os homenageados

Chiquinho do Pandeiro começou sua carreira em meados dos anos 70. De lá para cá já se vão mais de 40 anos de estrada, participando de muitos grupos e influenciando jovens músicos. Chiquinho é antes de tudo um músico versátil e autêntico, toca com a velha guarda e a nova geração. A trajetória dele está muito ligada ao Grupo Bons Tempos. É praticamente impossível definir com exatidão a data em que o grupo iniciou suas atividades, e a história de Chiquinho do Pandeiro se confunde com a história da banda.

Jorginho Araújo é autor de mais de 150 composições musicais, 10 CDs gravados, 1 LP, 5 DVDs, e autor de um Hino a Campinas editado pela EPTV, por ocasião dos 220 anos da cidade. Trabalhou em quase todos os lugares com música ao vivo na cidade, além de São Paulo, Curitiba, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e até no exterior, como Argentina e Chile. Jorginho Araújo vem de uma formação musical, no qual todo o arsenal foi calcado na MPB, dos anos 70 até os dias atuais, sempre primando pela música que tenha compromisso com a melodia, a harmonia, o texto e o ritmo.

Valéria Santos desde muito pequena se viu envolvida em meio a arte por causa da herança familiar. Atuou em diversas casa de samba de Campinas e São Paulo. Em 2014 realizou seu grande sonho: lançou seu primeiro CD intitulado “Juntinhos”, no qual apresenta uma variedade de ritmos dentro das mais diversas vertentes do samba. Podemos encontrar dentre suas gravações samba rock, samba raiz, samba de partido alto e samba canção.

Julião Vieira tem um estilo inconfundível. Criou e participou de vários grupos de samba em Campinas. Desde 2011 está na estrada em carreira solo. No ano de 2015, iniciou o projeto do primeiro CD solo da carreira profissional com a ideia e produção do amigo Alex Mortão, com composições inéditas suas e de amigos de toda a Região Metropolitana de Campinas. Participou ainda da quarta e da quinta edição da coletânea bambas regionais produzido por Paulino Neves e hoje tem um trabalho sólido e reconhecido como compositor e sambista tanto aqui na cidade de Campinas quanto na capital paulista.

Ronny Carlos tem a irreverência e o carisma como marcas registradas. Com apenas sete anos de idade já estava tocando percussão na Escola de Samba Renascença. Mais tarde, aos 14 anos, já estava cantando e tocando banjo na noite campineira com o seu primeiro grupo. Há cinco anos está no grupo “Mesa de Bar”, como vocalista e percussionista. Também faz trabalhos com artistas coroados no cenário nacional, como o falecido Almir Guineto, Ronaldinho Fundo de Quintal, Dudu Nobre, Netinho de Paula, o falecido Luiz Carlos da Vila, Marquinhos Sensação e o cantor Salgadinho. Neste mês de dezembro de 2018 completa 30 anos de carreira musical.

Haroldo Cangiani desde a adolescência desfilava na tradicional Escola de Samba Nem Sangue Nem Areia. Também desfilou na Estrela Dalva, na Mocidade Independente e na Renascença, ganhando prêmios que eram oferecidos nesta época, como a melhor “caixa”’ do Carnaval de rua. Haroldo tem participação especial no disco gravado pelo Grupo Sob Medida, e juntamente com eles se apresentou em shows da conexão da Rádio 105 FM, e em shows com o Katinguelê, Negritude Júnior, Raça Negra, Grupo Raça, Sensação, Art Popular, Clave de Azes, Tom Maior, Partido Alto, Molejo, Karametade, Exalta Samba, Só Pra Contrariar, Soweto (Belo), Fundo de Quintal, Originais do Samba e muitos outros. É um dos fundadores do Bloco da Ressaca.

Pagode da Vó Tiana é um grupo de músicos que se reúne um domingo por mês na Vila IAPI desde 2004. Eles tocam sambas, em sua maioria aqueles que não costumam ser tocados nas emissoras de rádios comerciais. O repertório da roda de samba é similar às do Rio de Janeiro. Hoje o local atrai até 600 pessoas. Sambistas conhecidos regionalmente e nacionalmente já passaram por lá. O Pagode da Vó Tiana colabora com a valorização da música brasileira, resgatando os grandes mestres, visando dar continuidade ao legado por eles deixado.

A Casa Rio – Bar & Restaurante é uma das melhores e mais respeitadas casas temáticas de samba e brasilidades de todo o Estado de São Paulo. São 490 metros quadrados de pura “carioquice”, com direito às ondas da calçada de Copacabana no piso de mosaico português, estandartes das escolas de samba e escudos dos times cariocas pendurados no teto. Por lá passaram grandes artistas conhecidos nacionalmente como Dudu Nobre, Jorge Aragão, Leci Brandão, Fundo de Quintal, Demônios da Garoa, Art Popular, Xande de Pilares, Arlindo Cruz, Diogo Nogueira, Marquynhos Sensação, Exalta Samba, Marquinhos Sathan, Marcelinho Moreira, Noca da Portela, Neguinho da Beija-Flor, Elza Soares, Jair Rodrigues, Wilson Moreira, Moacir Luz, Sombrinha, Eliana de Lima, Arlindo Neto, Arlindinho, Royce do Cavaco, Reinaldo Birô do Cavaco, Monarco da Portela, Paulinho Mocidade Mauro Diniz, entre outros sambistas regionais.

O “Escuta o Cheiro”, que completou 10 anos em 2018, é um projeto mensal que resgata o formato das rodas de samba de fundo de quintal, fora de locais públicos e por meio de grupos de samba convidados que recebem músicos e cantores especiais para cada edição. Essa verdadeira festa do samba no distrito de Sousas surgiu da união de amigos interessados em levar boa música em um ambiente agradável e diferente do que a cidade oferecia até então. Sob a batuta do Sinuca de Bico, grupo formado por grandes músicos da cidade, o Escuta o Cheiro promove um encontro de amigos do samba todo o terceiro domingo de cada mês.