Amber Heard lê carta aberta sobre Johnny Depp no aniversário do movimento #MeToo

A atriz acusou o astro de Piratas do Caribe de violência doméstica em 2016.

Em comemoração ao aniversário de um ano da viralização do movimento #MeToo, a Porter Magazine foi a anfitriã do evento Incredible Women (Mulheres Incríveis). Com diversas apresentações e discursos, a atriz Amber Heard subiu ao palco para ler a carta aberta que escreveu há dois anos, sobre “os momentos mais difíceis e doloridos” de sua vida.

Antes de ler a carta, a estrela de Aquaman a dedicou às “irmãs silenciosas”, explicando, “naquela época, minha voz era sozinha, parecia sozinha pelo menos. A Porter Magazine publicou esta carta quando ainda era muito dificíl, e por isso eu me sinto honrada de dividir esse espaço com tantas mulheres corajosas e poderosas. Eu só queria um momento para dizer o quão agradecida estou e também, é muito louco o quanto essas palavras são relevantes agora, dois anos e meio depois.”

Caso de violência doméstica de Johnny Depp e Amber Heard chega a um acordo

A atriz, então, começou a ler sua carta. “Vamos começar com a verdade, nua e crua. Quando uma mulher fala sobre seu sofrimento em público, sobre injustiças, ela será recebida com hostilidade, ceticismo e vergonha, ao invés de ajuda, respeito e suporte. Seus motivos serão questionados e sua verdade será ignorada. Não importa o quão terrível ou aterrorizante seja sobreviver a um trauma, pode ser muito mais fácil em comparação com o que vem depois. Dá para imaginar porque tantas de nós sentimos que temos que ficar quietas ou tentar manter nossa própria segurança para não perder a dignidade. O medo de ser ostracizada pela sociedade é uma das perspectivas mais assustadoras que existe. Mas eu estou aqui para dizer que não há necessidade de fazer essa troca horrível. Não é fácil defender a si mesma e a sua verdade sozinha, mas nosso mundo está mudando. Do lado umas das outras como mulheres, nós compreendemos um exército de vozes e não podemos mais aceitar o silêncio.”

Heard escreveu a carta durante seu conturbado casamento com Johnny Depp, de quem se divorciou no fim de 2016, após acusações de violência física e mental. Todo o dinheiro que ela recebeu do acordo que fez com o astro, para não levar o caso judicial do dois a julgamento, foi doado à instituições que combatem e ajudam vítimas de violência doméstica.