Em luta contra câncer, Ana Furtado explica uso de máscara: ‘Imunidade baixa’

Em tratamento contra câncer de mama, Ana Furtado tem sido frequentemente vista de máscara cirúrgica. A apresentadora foi fotografada com a proteção em um passeio com a filha no shopping e até mesmo para malhar na academia. Em seu Instagram, nesta sexta-feira (27), a artista tirou a dúvida dos seguidores a respeito do item e aproveitou para brincar: “Tem um monte de gente perguntando porque eu uso a máscara. Porque quando faço quimioterapia minha imunidade fica muito baixa. Todo mundo gripando, espirrando, eu não posso pegar nem gripe. Não posso nem pegar o Brad Pitt, nem o Tom Cruise, só o Boninho mesmo”.

Veja também

Apresentadora usa roupa com proteção para pegar sol

A artista viajou à Europa com a família no começo do mês e não dispensou pegar sol por causa da quimioterapia. Em seu Instagram, a mulher de Boninho explicou os cuidados com o sol durante o tratamento contra a doença: “Para quem ficou preocupado sobre a minha exposição solar, quero dizer que estou sendo orientada pelos meus médicos, ficando no máximo 15 minutos no sol/dia com protetor 100 FPS em um horário adequado. Além do maiô com proteção solar e roupas e chapéu com o mesmo tratamento FPS. Agora mais do que nunca valorizo ainda mais cada coisa, cada situação simples do dia a dia. Passear no sol, caminhar ao ar livre, subir escadas, correr… tudo está diferente e mais cansativo, mas é passageiro. Eu confio em Deus que em breve tudo isso será a lembrança dessa lição valiosa de vida que tenho vivido”.

Artista reduz efeitos de quimioterapia com treinos

A apresentadora não abandonou os execícios físicos durante o tratamento e contou que as atividades são benéficas para a saúde: “A minha rotina de atividades está mais leve. Não é recomendado se exercitar à exaustão porque isso pode vir a comprometer a imunidade e, por consequência, deixar o organismo mais exposto a possíveis infecções. Mas é fato também que a atividade física me estimula, me faz sentir viva e está contribuindo para reduzir os efeitos colaterais da quimio e o risco de depressão – muito comum em pacientes em tratamento contra o câncer”.

(Por Tatiana Mariano)