Rafaella Santos opera o ombro após se machucar na Rússia: ‘Foi tudo bem’

Após se machucar na Copa do Mundo na Rússia, Rafaella Santos passou por uma cirurgia no ombro. Nesta quarta-feira (2), a irmã de Neymar tranquilizou os seguidores sobre o seu estado de saúde. “Para quem está me perguntando sobre os snaps, atormentando meu pai, hoje eu operei o ombro. Para quem não se lembra, machuquei na Rússia. Foi tudo bem”, escreveu no Stories do Instagram. No hospital, a digital influencer também compartilhou fotos dos pais. “Um dormindo e a outra vendo novela”, falou.

Veja também

Rafaella defende irmão de críticas

No último mês, Rafaella marcou presença no evento beneficente do Instituo Neymar Jr., em São Paulo, e defendeu o jogador das críticas que ele recebeu durante o torneio. “As pessoas falam o que elas querem falar, é a realidade e ele não se importa com as críticas negativas, faz parte do mundo dele tudo isso. Mas o Neymar está muito feliz”, declarou ao “Uol”. A loira, aliás, deixou uma mensagem motivacional para o atleta após a eliminação do Brasil: “Você é flecha no arco de Deus. Quando tudo parece estar indo para trás, e sempre mais para trás, é aí que Deus segura Seu alvo apontando pra onde Ele quer te levar. Quanto mais para trás a flecha é puxada, mais longe ela irá chegar. Ei, meu amor não se preocupe com a pontaria, Deus nunca erra o alvo”.

Craque desabafa após eliminação

Em sua rede social, Neymar também se pronunciou: “Posso dizer que é o momento mais triste da minha carreira, a dor é muito grande porque sabíamos que poderíamos chegar, sabíamos que tínhamos condições de irmos mais além, de fazer história… Mas não foi dessa vez. Difícil encontrar forças pra querer voltar a jogar futebol, mas tenho certeza que Deus me dará força suficiente pra enfrentar qualquer coisa, por isso nunca deixarei de te agradecer Deus, até mesmo na derrota… Porque eu sei que o teu caminho é muito melhor do que o meu. Muito feliz em fazer parte desse time, estou orgulhoso de todos, interromperam nosso sonho mas não tiraram da nossa cabeça e nem dos nossos corações”.

(Por Patrícia Dias)