Tribunal ordena que cachorros tenham cordas vocais retiradas

A Justiça do Estado do Oregon, nos Estados Unidos, decidiu na última quarta-feira (30) que um casal precisará submeter seus cachorros a uma cirurgia de retirada das cordas vocais para que eles parem de latir e incomodar um casal de vizinhos, em uma briga jurídica que já dura cinco anos.

O casal condenado, Karen Szewc e John Updegraff, utiliza cães das raças mastim tibetano e mastim dos Pirenéus há pelo menos 15 anos para proteger sua propriedade, de cerca de 1,3 hectare, que possui cabras, ovelhas e galinhas. Desde então, os vizinhos passaram a reclamar do que eles chamam de “latidos incessantes” dos cachorros, a partir das primeiras horas da manhã.

Em 2012, o casal Dale e Debra Krein entrou com uma ação afirmando que os cachorros constantemente os impediam de dormir e assustavam parentes e crianças que visitavam sua casa. Além disso, os latidos forçavam os vizinhos a aumentar demais o volume quando assistem à televisão. Eles gravaram áudios para provar a acusação, segundo o jornal local The Oregonian.

Os donos dos cachorros foram condenados a pagar US$ 238 mil aos vizinhos, em uma decisão de 2015. Mas o problema não foi contido de outras maneiras – como o uso de um spray de citronela ou a construção de uma barreira visual entre os cachorros e a propriedade vizinha -, e a Justiça então ordenou a retirada das cordas vocais dos cães.

Independentemente da briga dos vizinhos, a decisão foi repudiada por defensores dos direitos de animais. “Estamos chocados”, disse David Lytle, do Oregon Humane Society, ao The Oregonian. Organizações veterinárias também são contra a retirada das cordas vocais dos animais, dizendo que é uma operação desnecessária.

“Não é humano colocar cachorros para passar por essa dor e sofrimento”, disse Jeffrey Klausner, do hospital veterinário de Banfield, em Portland (Oregon), em uma entrevista ao New York Times em 2010.

Apesar do Estado do Oregon permitir a cirurgia, ela raramente é utilizada como instrumento da Justiça, segundo o The Oregonian, porque os casos geralmente são resolvidos antes de chegar a esse impasse.

Ao jornal, Karen Szewc, dona dos cachorros, disse que suas tentativas de silenciar os cachorros causaram danos em sua propriedade. Ela afirmou que já submeteu alguns cães à cirurgia, em 2010, mas logo depois um puma sumiu com seis carneiros em uma semana, segundo Szwec. “Foi um prejuízo de US$ 3.000.”

“Os cães são meus funcionários. Não temos os cachorros para incomodar os vizinhos, mas para proteger nossas ovelhas. A próxima linha de defesa é uma arma. Não tenho que usar uma arma, posso proteger minhas ovelhas com os cachorros. É uma maneira passiva de proteger o gado”, afirmou.