Diretor de uma imobiliária em Hortolândia, morre em acidente de trânsito em Sumaré

Motociclista, de 30 anos, foi jogado para acostamento com impacto

Um empresário, de 30 anos, morreu na noite deste sábado (22) na rodovia José Lozano de Araújo, em Sumaré, após uma motorista bêbada colidir com ele, que estava de moto, ao fazer um retorno proibido. Ericson Rafael Belini, de 30 anos, morreu no local.

Segundo o boletim de ocorrência, o acidente ocorreu por volta de 18h. A motorista Adriana Conceição Laureano, de 42 anos, bateu na motocicleta no km 1,5 da rodovia. Ela fez o teste de bafômetro e, após resultado positivo, foi presa em flagrante.

O registro policial relata que ela demonstrava estar muito confusa quando foi abordada e não conseguiu fornecer seu endereço. Segundo o testemunho, ela informou que havia saído de Sumaré e dirigia para Campinas, mas errou o caminho.

Para fazer o retorno, ela estacionou o veículo em uma via de duplo sentido, com faixa dupla contínua amarela. Quando atravessou a pista, o que é ilegal, colidiu com o motociclista, que foi atirado para o acostamento.

Ela admitiu que havia ingerido bebida alcoólica e o resultado do bafômetro foi de 0,52 mg de álcool por litro de ar expelido. A fiança foi estipulada em R$ 10 mil*. Adriana foi levada para a Cadeia Feminina de Monte Mor. O motociclista Ericsson será enterrado em Paulínia, no cemitério Paineiras.

LIMITE

O Conselho Nacional de Trânsito estabelece que, em caso do motorista embriagado incorrer em crime de trânsito, a tolerância é de 0,34 miligramas de álcool por litro de ar ou de 6 decigramas por litro de sangue. A pena para esse crime é de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão temporária da carteira de motorista ou proibição permanente de se obter a habilitação.