Connect with us
Operação Acesso Maldito - A Intrigante História de uma Policial Penal Operação Acesso Maldito - A Intrigante História de uma Policial Penal

Notícias

Operação Acesso Maldito – A Intrigante História de uma Policial Penal

Artigo

em

Introdução

A Polícia Civil de Mato Grosso desencadeou uma operação chamada ‘Acesso Maldito’ para investigar a entrada ilegal de aparelhos celulares e substâncias ilícitas na Cadeia Pública de Alto Araguaia. A operação, realizada em uma terça-feira, resultou na prisão de uma policial penal acusada de facilitar a entrada desses materiais na cadeia.

Contexto

A Cadeia Pública de Alto Araguaia está situada a 426 km de Cuiabá. Segundo as investigações, a policial penal suspeita estava ajudando a introduzir celulares e drogas na prisão. Com a crescente incidência desses incidentes, a Polícia Civil decidiu intervir e lançar a ‘Operação Acesso Maldito’.

PUBLICIDADE

A Operação

A operação envolveu 15 policiais civis e foi realizada uma inspeção em todas as dependências da cadeia, com o foco na apreensão de drogas, aparelhos celulares e outros objetos ilícitos.

Ações Tomadas Durante a Operação

Durante a operação, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão. Além disso, também foram realizados bloqueios de contas bancárias e quebras de sigilo telefônico. Uma ordem judicial de prisão também foi cumprida contra um presidiário, apontado como o responsável pelo tráfico de drogas e acesso de celulares dentro da cadeia.

PUBLICIDADE

Resultados da Operação

Desde o início das investigações, em agosto de 2022, foram apreendidos no interior da cadeia de Alto Araguaia, 50 aparelhos celulares e 300 porções de maconha. Foi identificada a participação direta de pelo menos uma policial penal, que foi posteriormente presa.

O Processo

Investigações apontaram que o processo se iniciava com a arrecadação de celulares por membros de uma organização criminosa envolvida com o tráfico de drogas na cidade. Esses aparelhos celulares eram obtidos por meio de furto, roubo e até mesmo pela troca por drogas, realizada por usuários.

PUBLICIDADE

O Papel da Policial Penal

Os celulares eram entregues para a policial penal na casa dela, que por possuir acesso irrestrito na cadeia, repassava os aparelhos para os presos. A colaboração da policial penal era recompensada com valores e drogas, caracterizando também o crime de corrupção.

A Conexão com Outros Crimes

Durante uma investigação envolvendo um caso de sequestro, tortura e cárcere privado ocorrido na cidade, foi comprovado o uso de celulares pelos presos. Os criminosos que estavam com a pessoa sequestrada fizeram várias ligações, por videoconferência, com os presos para decidirem qual seria o destino da vítima, provando a conexão entre a entrada de celulares na prisão e outros crimes graves.

PUBLICIDADE

Conclusão

A ‘Operação Acesso Maldito’ ilustra a complexidade e a gravidade do problema da entrada de aparelhos celulares e drogas em prisões. A prisão da policial penal envolvida destaca a necessidade de maior fiscalização e controle nessas instituições.

Fontes

1. Link para a notícia original
2. Link para outra fonte relevante

PUBLICIDADE

Imagens

1. !Imagem da Policial Penal presa
2. !Imagem da Cadeia Pública de Alto Araguaia
3. !Imagem dos aparelhos celulares e drogas apreendidos

> ‘A corrupção é um mal que atinge todas as camadas da sociedade e, infelizmente, não poupa nem mesmo as instituições que deveriam combater esse mal.‘ – Autor desconhecido.

PUBLICIDADE

Para informações adicionais, acesse o site

‘Este conteúdo foi gerado automaticamente a partir do conteúdo original. Devido às nuances da tradução automática, podem existir pequenas diferenças’.
PUBLICIDADE

Jornalista e editora do NHTV, um espaço onde trago as principais notícias do Brasil e do mundo. Minha paixão pelo jornalismo me motivou a criar este site, com o objetivo de oferecer informações precisas e imparciais sobre uma variedade de tópicos. Acredito no poder do jornalismo para informar, inspirar e capacitar as pessoas a compreenderem melhor nosso mundo em constante mudança. Agradeço por nos acompanhar e estou aqui para fornecer notícias confiáveis e relevantes.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE