Bolsonaro se solidariza com as vítimas do ataque na igreja em Campinas

 

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), manifestou-se nesta terça-feira (11/12) pelo Twitter a respeito do massacre na Catedral Metropolitana de Campinas, quando Euler Fernando Grandolpho atirou contra fiéis, matando quatro pessoas e deixando outras quatro feridas. Bolsonaro disse que está acompanhando a apuração do crime e também prestou solidariedade.

“Estamos acompanhando a apuração das autoridades sobre o crime bárbaro cometido hoje na Catedral Metropolitana de Campinas, em São Paulo. Nossos votos de solidariedade às vítimas dessa tragédia e aos familiares”, disse o futuro presidente.

Temer dá condolências
Mais cedo, o presidente da República, Michel Temer (MDB), também foi ao Twitter para se pronunciar sobre o massacre ocorrido na Catedral. No seu perfil pessoal, o chefe do Executivo federal apresentou condolências aos familiares das vítimas.

“Rezo para que os feridos tenham rápida recuperação”, disse o presidente, afirmando estar “profundamente abalado” com o crime cometido dentro da Catedral Metropolitana de Campinas.

Sem passagem pela polícia
Euler Fernando Grandolpho não tinha passagem pela polícia. Na mochila que carregava, não foi encontrada nenhuma carta ou qualquer pista sobre a motivação do crime. A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de Grandolpho é de Valinhos, município do interior de São Paulo que já foi um distrito de Campinas.

A Polícia Civil de São Paulo apreendeu no início da noite desta terça-feira (11/12) cadernos, papéis e o notebook na casa do atirador. O material será analisado pela perícia. Os investigadores ainda tentam descobrir a motivação do crime.