Prefeito de Vinhedo se livra de cassação

Apesar de a maioria dos votos apontar pela cassação do mandato do prefeito de Vinhedo, Jaime Cruz (PSDB), ele se livrou da degola porque o número de votos foram insuficientes para tirá-lo do cargo. O relatório da CP que pedia a sua cassação recebeu 7 votos favoráveis, ante 5 contrários. Porém, são necessários 9 votos para cassar um prefeito municipal em Vinhedo.

O prefeito foi investigado por denúncias nas contas municipais que apontavam 13 irregularidades que iam desde gastos abusivos. abertura de créditos suplementares até não recolhimento do INSS dos servidores municipais.

A sessão durou 15 horas e terminou às 5h da madrugada de hoje (09/11). Os parlamentares votaram dois relatórios um assinado pelo relator, o vereador Rubens Nunes (MDB) e outro assinado pelo presidente da comissão, o vereador Carlos Florentino (PV) e pela vereadora Flávia Bitar (PDT). O do relator pediu o arquivamento da CP e envio das denúncias ao MP. Já o do presidente pedia a condenação e perdo mandato.

A CP investigou 13 irregularidades que vão desde gastos abusivos. abertura de créditos suplementares até não recolhimento do INSS dos servidores municipais.

O prefeito disse que recebeu com tranquilidade o resultado da votação da CM que arquivou o processo de cassação. “A população de Vinhedo confiou, em 2016, o voto em nossa proposta de Plano de Governo, que está registrado no Cartório Eleitoral, e desde o dia 1º de Janeiro de 2017 temos, dia a dia, cumprido metas e ações que estão alinhadas a este Plano. A nós, Executivo, cabe o trabalho e, por ele, prestar serviços públicos de excelência e qualidade à população. À Câmara Municipal, cabe a tarefa de legislar e fiscalizar as ações do Executivo. E, exatamente por isto, sem o filtro da bandeira partidária, é que podemos seguir o trabalho e a confiança depositada pelo povo de Vinhedo”, disse o prefeito por meio de nota.