Festival de Toronto 2018: Michael Moore revela que foi auditado pela receita uma semana após anunciar filme sobre Trump

Vencedor do Oscar sofrendo com o Leão nos Estados Unidos.

O polêmico documentarista Michael Moore chegou causando no Festival de Toronto 2018. Já na noite de abertura do evento, o cineasta apresentou seu mais novo trabalho: Fahrenheit 11/9. O filme foca sua atenção no presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mostrando como ele chegou ao poder com a colaboração da mídia e de vários erros do partido democrata. 

E Moore não pega nada leve com Trump, fazendo comparações com a chegada dos nazistas ao poder na Alemanha. O diretor chega ao ponto de dublar um discurso de Hitler com um áudio de Trump.

Mas se Moore volta sua atenção ao presidente, o governo americano também está de olho no cineasta. O diretor revelou que está sofrendo com uma auditoria por parte da receita federal dos Estados Unidos. “Uma semana após eu anunciar que estava fazendo este filme no programa do Stephen Colbert, a receita iniciou uma auditoria nas minhas contas”, revelou.

Em conversa com o público, Moore garantiu que está com as contas certas e que vai abrir os dados para todos assim que o processo acabar. Ele foi mais longe: “Na verdade, eu paguei impostos em excesso. Eles terão que me devolver com juros e correção monetária.”

Fahrenheit 9 de Novembro (tradução livre) ainda não tem data para chegar aos cinemas brasileiros. Leia a crítica do AdoroCinema.