Sandra Annenberg conta como soube da morte de Boechat: “Chocante”

Sandra Annenberg (Reprodução/TV Globo)

Sandra Annenberg (Reprodução/TV Globo)

A jornalista Sandra Annenberg detalhou a Ana Maria Braga, durante o Mais Você desta terça-feira (12), como foi conduzir o Jornal Hoje com a notícia da morte de Ricardo Boechat. À apresentadora, Annenberg contou que soube da confirmação enquanto o JH estava no ar. “Foi chocante”, descreveu.

“Nós recebemos a notícia enquanto estávamos com o Jornal Hoje no ar, no ar em todos os sentidos. Foi muito difícil ontem pra gente. A gente está acostumado a dar notícias difíceis, aliás, se tem algo que é difícil são as últimas notícias, que geralmente são tragédias, desastres, violência. Agora, a morte que nós presenciamos desta maneira, ao vivo, foi chocante”, disse Sandra.

Annenberg detalhou ainda sobre como foi conter a emoção durante a apresentação do jornal. “Ter que controlar a emoção é muito difícil. Quando saí do ar, fiquei pensando muito se eu consegui, de fato, passar não só a informação, mas um pouquinho de tranquilidade num momento tão difícil. Não sei…”, disse ela. “Mas posso dizer que no dia em que eu não puder mais me emocionar com meu trabalho, não faz mais sentido fazer este trabalho.”

Ainda no Mais Você, Sandra revelou o que mais admirava em Boechat. “O que acho mais incrível no trabalho do Boechat é a capacidade dele de se indignar. Isso a gente não pode perder jamais, a nossa capacidade de indignação com o que está errado, com o que está ruim, com o que é feio. O dia em que a gente banalizar, a gente se anestesiar, de fato, não vale mais a pena. Como diria o Boechat, toca o barco, e vamos lá, navegar é preciso, também diria o grande poeta Fernando Pessoa”, concluiu.

Ontem, cada emissora homenageou Ricardo Boechat em seus principais telejornais. Do Jornal Nacional ao SBT Brasil, todas destacaram as habilidades e qualidades do jornalista. Em seus encerramentos, os jornais fizeram o tradicional minuto do silêncio com a foto do jornalista. Já o Jornal da Band, o qual Boechat ancorava, aplaudiu de pé o profissional em diversas regiões: São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Fonte: Metropoles