Iniciada obra que garante coleta de esgoto no Orestes Ongaro

Iniciada obra que garante coleta de esgoto no Orestes Ongaro

Parque do Horto também recebe serviço; 3 mil residências serão beneficiadas nos dois bairros

 

A Prefeitura de Hortolândia, em parceria com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), continua o trabalho para oferecer rede coletora de esgoto a toda cidade. Equipes estão no bairro Orestes Ongaro, onde realizam a instalação da rede de esgoto nas vielas, que passam pelos quintais de aproximadamente 1.204 residências daquele bairro. Além de captar os detritos destas casas, a obra impede o vazamento de esgoto para terrenos vizinhos e sarjetas, evitando a contaminação da rede de águas pluviais. 

A instalação da rede de coleta de esgoto também acontece no Parque do Horto. Aproximadamente 872 residências foram beneficiadas com a obra que já está 90% concluída na localidade. A região da Taquara Branca teve o mesmo serviço concluído em 2017. A rede de esgoto garante prevenção de doenças, além de desenvolvimento social, econômico e qualidade de vida para a população.

As vielas são trechos existentes em alguns quintais onde não é possível instalar rede coletora convencional. Nestes locais, não é permitido nenhum tipo de construção. Segundo a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos, a Lei Complementar 34/2011 do Código de Obras, proíbe a edificação nestas áreas e prevê que cada viela deve ter em média três metros de largura, dependendo da situação de cada construção.

  “Isso é necessário para que, durante o trabalho de implantação da rede coletora, a viela tenha espaço suficiente para a entrada de máquinas que realizarão o serviço”, explica o secretário de Obras e Serviços Urbanos, Sérgio Torrecilas. A sugestão é que no local seja feito um canteiro ou pequena horta.

No Parque do Horto, na região da Taquara Branca e no Parque Orestes Ongaro, a Sabesp construiu estações elevatórias que recebem os resíduos captados nas casas. Estes detritos são impulsionados por uma espécie de bomba para a rede coletora que levará os dejetos até a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto). 

De acordo com a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos, para Hortolândia universalizar a rede coletora de esgoto, além da conclusão das obras no Parque do Horto e Orestes Ongaro, a Administração realizará o mesmo tipo de serviço em pequenos trechos de alguns bairros da cidade.

LUTA PELO ESGOTO

A luta histórica da população por esgoto começou na década de 1980 e viu os primeiros resultados a partir de 2005, na primeira gestão do prefeito Angelo Perugini que, em parceria com a Sabesp, fez Hortolândia sair do marco zero de coleta e tratamento de esgoto para 92,44% de cobertura do serviço, índice registrado em 2017. Na RMC (Região Metropolitana de Campinas), a cidade é a 8ª em percentual de cobertura entre os 21 municípios. Esse resultado contou principalmente, com a participação popular.

 

Histórico – Esgoto em Hortolândia

·Década de 80: organização de movimentos populares em prol do esgoto

 

·1997: a Sabesp assume os serviços de água e esgoto na cidade. No contrato de concessão é previsto o prazo de dois anos para oferecer coleta e tratamento de esgoto.

 

·2003: a Sabesp inicia as obras da ETE, paralisadas depois por questões jurídicas envolvendo a concessionária e a empreiteira contratada para realizar a obra.

 

·2005: o prefeito Angelo Perugini assume a Prefeitura e inicia uma fiscalização rígida sobre a Sabesp a fim de que empresa apresente um novo cronograma de obras e cumpra o contrato de concessão. A Prefeitura ameaça romper o contrato com a companhia.

 

·2006: a população, com apoio da Prefeitura, vai às ruas reivindicar à Sabesp esgoto coletado e tratado. Um abaixo-assinado organizado pela comunidade é entregue ao Ministério Público. No mesmo ano, a Sabesp retoma as obras de rede coletora de esgoto e libera as primeiras ligações de residências a rede coletora de esgoto. Também apresenta o cronograma de obras exigido pela Prefeitura.

 

·2007: a Prefeitura cria a Comissão de Acompanhamento de Obras de Esgoto, composta por representantes da sociedade civil. No mesmo ano, a Sabesp retoma as obras da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto).

 

·2009: a ETE é inaugurada e, quatro meses depois, já tratava 30% do esgoto do município.

 

·2012: no segundo governo do prefeito Perugini, 72% da cidade tinha cobertura com rede coletora.

 

·2017: Hortolândia apresenta 92,44% de atendimento total de esgoto. 

 

·2018: Meta de universalizar o serviço até o final do ano.